Publicado em: qua, 8 - mar - 2017

Opinião de primeira – REGANDO A IDEOLOGIA TORTUOSA COM O SANGUE DOS FILHOS DOS OUTROS por Sérgio Pires

menores tiros montagemNão merecem todos os aplausos os defensores da liberdade total para as crianças e jovens? Não têm o que comemorar esses amantes de suas próprias ideologias, que acham que os filhos dos outros devem ser criados à revelia, sem educação, sem formação, sem controle, sem palmadas, sem eventuais correções mais duras? Eles deveriam se penitenciar, isso sim, cada vez que um jovem é assassinado brutalmente. Porque é esse o resultado que conseguiram: transformaram o Brasil num matadouro de crianças e jovens. Sabem o que é melhor para os filhos dos outros, porque os próprios filhos, esses não! Esses são criados com rigidez e formação. Mas a massa humana pobre, essa só serve mesmo como carne no açougue no sistema de violência criado por suas ideias espúrias; por seu 

amor à ideologias canalhas; por sua defesa intransigente de si mesmos e suas crenças. Os outros? Ah, que morram!  O desabafo tem seus motivos. Em todo o país, todos os dias, adolescentes (e muitas vezes até crianças), a grande maioria de jovens são massacrados. Não tiveram apoio da família. Não tiveram chance. Não tiveram educação e nem formação. Serviram apenas como mote de discursos vazios, enquanto são mortos aos borbotões, em todos os recantos dessa terra da absurda e terrorista impunidade.

Só em Porto Velho, e na mesma madrugada, dois deles entraram para as estatísticas do horror: um garoto de 18 anos, assaltante e uma menina de 21 anos, com mais de 20 passagens pela polícia, autora de vários tipos de delitos.   As histórias são iguais a milhares de jovens, que formam a maioria das vítimas, mais de 60 por cento, do total de mais de 50 mil assassinatos registrados no país, por  ano. Também são maioria os envolvidos com o crime. Não tiveram oportunidade e não foram ensinados a tê-las, porque durante suas curtas vidas, ouviram o discurso da liberdade total; de não respeitar os pais ou suas famílias; foram ensinados a enfrentar a polícia. O mesmo contexto irresponsável de quem quer ensinar sexo a crianças de seis anos e que defende que sala de aula é lugar de ensinamento ideológico. Esses doentes sociais jamais serão punidos. Alguns deles ainda serão homenageados, no fim da longa e rica vida que terão. Até lá, vão alimentar suas ideologias tortuosas e criminosas com o sangue do filho dos outros.

 

MUDANÇAS NO TIME

Foi com grande surpresa que, na noite de segunda, o prefeito Hildon Chaves anunciou mais duas mudanças em áreas importantes do seu governo. A maior delas foi a troca no comando do Ipam, onde saiu Bosco da Federal, que estava fazendo um bom trabalho, incluindo profundo levantamento dos problemas do Instituto. Foi  substituído por Ivan Furtado de Oliveira. Ivan vai comandar uma força tarefa, uma equipe especializada, que está sendo também chamada pelo Prefeito, para fazer uma completa análise do instituto. Bosco já alertara que a situação do Ipam é extremamente complexa e grave. A troca no comando da Secretaria de Agricultura, esta sim não foi tão surpreendente. Sai o pecuarista Aldo Castanheira da Silva Junior  e entra em seu lugar o agrônomo Francisco Lima, não se sabe se em definitivo ou interinamente. Outra notícia envolvendo secretários de Hildon, envolve Ivonete Gomes. Ela foi indicada para o Conselho Estadual de Esportes e Lazer. Se confirmada, será a primeira vez que a Capital terá um representante naquele conselho.

 BAIRRO CIDADE

Porto Velho vai ganhar um novo bairro, com milhares de moradores, comércio e toda a infraestrutura necessária. A ideia é utilizar uma área de mais de 2 milhões de metros quadrados, na Estrada do Santo Antônio, sentido Acre, para construir mais de 6.500 apartamentos, outas 1.500 casas, além de cerca de 90 prédios comerciais. O dinheiro virá de investimentos habitacionais da Caixa Federal e a iniciativa é do Sindicato Da Construção Civil do Estado, o Sinduscon. . O presidente da entidade, empresário Emerson Fidel, apresentou todo o projeto em reunião com o vice governador Daniel Pereira; o prefeito Hildon Chaves; o presidente da Assembleia, Maurão de Carvalho; a secretária da Semur, Márcia Luna e o gerente regional da CEF, Paulo Sérgio Almeida, na semana passada. Será um verdadeiro bairro-cidade, para algo em torno de 15 mil moradores a curto prazo, destinado principalmente a servidores públicos do Estado. Governo, Assembleia e todos os demais poderes apoiam a iniciativa.

 CEM CAÇAMBAS DE SUJEIRA

No total, foram 106 caçambas cheias de lixo. Tinha de tudo. Do lixo comum à sofás, fogões, pedaços de madeira, roupas, sapatos, entulhos, podridão. Em menos de 24 horas, em mutirões realizados através do programa Mutirão Legal, criado pelo secretário de Serviços Urbanos da Prefeitura, Wellen Prestes, tudo isso foi retirado do bairro Ulysses Guimarães e da avenida Jorge Teixeira. No bairro, localizado na zona leste e que nunca tinha visto um serviço tão completo de limpeza, ficaram lotadas de lixo nada menos do que 56 caçambas. A surpresa veio na Jorge Teixeira, onde se esperava, ao menos, um pouco mais de cuidado da população. Nada disso. Ali, foram retiradas 50 caçambas lotadíssima de tudo o que é sujeira que se possa imaginar. O prefeito Hildon Chaves anunciou que o programa será ampliado para toda a cidade. Porto Velho estava mesmo precisando de uma ação desse tipo. Mas é fundamental que a população colabore, colocando o lixo no lixo, senão, não haverá mutirão que adiante alguma coisa!

SAINDO DA TUMBA

A esperteza de Marina Silva já é bem conhecida. Em todas as grandes crises do país, ela toma Doril. Some. Desaparece. Não abre a boca, porque ela não está preocupada com o Brasil, mas apenas, claro com a preservação da imagem. Dela mesmo e de   sua turma. Em estado de catalepsia, se fazendo de morta para ganhar sapato novo, dona Marina planeja sair da tumba apenas quando tiver alguma novidade a “vender” ao eleitorado, que ainda não a conhece de verdade e que tem por ela simpatia e respeito. Cruz credo! Como não está pegando mais a história de defender os interesses das ONGs internacionais e nem o tal de “desenvolvimento sustentável” para a Amazônia, que ninguém sabe exatamente o que é, Marina quer voltar ao noticiário com outra bandeira: a do fim foro privilegiado. É a esperteza a favor da política. Quer aparecer na mídia defendendo essa teoria, como se fosse sua, junto com figuraças, como o senador Randolfe, do Amapá e algumas outras, já carimbadas por seu esquerdismo e suas teorias de séculos passados, todas superadas pela realidade dos dias atuais. Pobre Brasil, que dá espaço para nulidades como essas!

BOAS E MÁS NOTÍCIAS

A casa de seu João Alves Xavier é segura. Tem um muro alto, com cerca elétrica e está localizada num bairro considerado nobre da Capital, o Pedrinhas, próximo ao centro e ao rio Madeira. Nem assim os bandidos deixaram a vítima e sua família em paz. Quatro criminosos atacaram a casa, um deles colocando uma arma na cabeça de uma mulher, ameaçando matá-la. Começou aí  uma sucessão de eventos que acabaram com a intenção dos criminosos. Primeiro: a PM chamada, chegou em poucos minutos. Segundo: os bandidos se assustaram e pelo menos dois deles caíram do muro. Terceiro: tentaram atacar os policiais e foram atingidos por armas não letais. Quarto: todos foram para a cadeia. As más notícias: todos serão logo soltos; um deles, com tornozeleira eletrônica, ou seja, bandido solto de presídio que sai para assaltar, ainda avisou que voltará para se vingar dos PMs. E, pior de tudo: seu João e sua família não conseguem mais dormir em paz. Estão aterrorizados com o que viveram!

UMA CHANCE EM 100

Sempre atrapalhadas e prejudicadas por autoridades que se acham donas da cidade e superpoderosas (é a legislação capenga no Brasil, que dá a amadores poderes de interromper serviços importantes para a população), as obras do Espaço Alternativo se arrastam. Cada vez que surge a chance de concluí-las, algum portador de crachá de autoridade, embasado na lei, consegue parar tudo. E assim, lá se vão os milhões de reais já investidos e o saco do porto velhense, que vê mais uma obra inacabada nessa cidade em que ninguém manda, mas cada um manda o seu pouquinho. Agora, surge nova possibilidade de o trabalho andar mais rápido, já que o Tribunal de Contas, que já mandou parar tudo várias vezes, teria dado sinal verde para a última concorrência que falta, a que permitirá a construção da passarela que está faltando. Tudo atrasado de novo, daqui a 30 dias serão abertos os envelopes. Se o TCE-RO, o MP, O Judiciário, a Guarda Civil, a Aeronáutica, o Exército e a Marinha não intervirem mais (claro que é uma ironia!), quem sabe, no meio do próximo semestre, o Espaço estará concluído? É uma chance em 100, mas, quem sabe, não é?

PERGUNTINHA

Você não achou uma gracinha, uma coisa fofinha, quatro chefões do tráfico de drogas no país, recorrerem aos Direitos Humanos da OEA, alegando que estão sofrendo tortura e penas muito longas em presídios federais? Não são uns amores?

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

Comente no FaceBook